{Resenha} Contra Todas as Probabilidades do Amor

domingo, 18 de fevereiro de 2018

Resenha Contra Todas as Probabilidades

Sinopse
Sejam bem-vindos ao acampamento Pádua. Um retiro de verão para adolescentes problemáticos. Mas não se tratam de problemas comuns, como não querer estudar, mentir ou colar na prova. Não! Estamos falando de problemas reais. Alguns deles tão grandes, tão sérios, que até um adulto desmoronaria sob o peso deles. No acampamento, Zander, uma garota enviada pelos pais contra a sua vontade, encontra uma série de adolescentes na mesma situação, e com três deles ela estabelece uma relação de amizade — Grover, Alex e Cassie. Todos os quatro são tão diferentes quanto as pessoas podem ser, mas têm algo em comum — eles estão quebrados por dentro. Em meio às sessões de grupo e, à medida em que o verão dá as caras, os quatro revelam seus trágicos segredos. Zander encontra-se atraída pelos encantos de Grover, e então começa a se perguntar, depois de muito tempo, se pode apostar em ser feliz novamente.
Mas, antes, ela precisa lidar abertamente com seus problemas, para poder juntar seus pedaços e reconstruir sua vida 
O Que Achei
"Mas pelo menos sou honesta a respeito de quem sou eu. Só para esclarecer: as pessoas que são realmente loucas não sabem que são loucas"
De acordo com Zander Osborne, de dezesseis anos, sua vida vai bem como está. No entanto seus pais tem algo diferente em mente, quando insistem que ela vá para o Acampamento Pádua, um retiro de verão para adolescentes em risco. O livro, escrito em tempo presente, é narrado em primeira pessoa por Zander, desse modo vamos acompanhando os acontecimentos a medida em que ela os vivencia.

No Acampamento Pádua, em Michigan, Rebekah Crane reúne um grupo de adolescentes desajustados, unidos por seus vários problemas e distúrbios. Todos eles lutam com algo que faz com que seja difícil encarar a vida todos os dias. A princípio, nossa protagonista, acha que seus pais se enganaram ao mandá-la para lá, já que ela não se encaixa nesse grupo de adolescentes problemáticos. Entretanto, à medida que sua jornada progride, ela vai aprender mais sobre si mesma.


Resenha Contra Todas as Probabilidades

Logo no início nos deparamos com a chegada de Zander ao Acampamento, e é nítido que ela gostaria de estar em qualquer outro lugar. Zander conhece sua companheira de quarto, a fria e nada hospitaleira, Cassie. Suscitando a primeira de várias relações interpessoais que regem a trama. A falta do filtro cérebro-boca de Cassie, faz com que um embate se instale, inicialmente, entre as duas. E essa animosidade inaugura um relacionamento cheio de controvérsias, mas de suma importância para o desenrolar da trama. Em seguida, é a vez de Grover Cleveland *insira aqui vários suspiros apaixonados*. O pai de Groover foi diagnosticado com Esquizofrenia. Certo de que herdou os genes esquizofrênicos do pai, o garoto escolhe ir para o acampamento todo verão, a fim de estar preparado para o futuro. Para completar o grupo, temos Bek, um menino encantador que é um mentiroso patológico.
"E o que eu quero sentir é indiferença. Quando você se importa - seja muito ou pouco - você sofre."
À primeira vista não temos a dimensão de como cada um desses relacionamentos serão importantes para a jornada do autoconhecimento de Zander. Os diálogos que esse pequeno grupo promove são,  ora hilários e inebriantes, e em outros momentos tão carregados de emoção que, para mim, foi impossível segurar as lágrimas em diversas ocasiões. As diferenças de aparência e personalidades não impede que juntos se tornem uma unidade de amizade forte e resistente, que impede que sejam derrubados, como peças de um dominó.
"- Bem, é que há dias em que não vejo sentido nenhum nisso.- No acampamento? - eu pergunto.- Não, Zander. Na vida."
Ansiedade, depressão, transtornos alimentares, mentira compulsiva… Cada personagem precisa encarar diariamente os demônios que vivem dentro de si, e que os impede de respirar. Eles começam a revelar seus segredos e, à medida que despedaçam o seu eu, podem encontrar uma maneira de se tornarem inteiros novamente. Zander é a personagem central, mas todos ali tem presença e participação significativa. A autora constrói um belíssimo enredo, evidenciando o real poder da amizade e do amor, e como esses fatores são importantes em momentos de necessidade.
"Ninguém é capaz de sobreviver sozinho, contando apenas consigo mesmo - [...] - A vida exige trabalho em equipe."
As descrições do acampamento são ricas em detalhes. O leitor sente-se parte do cenário, como se estivesse participando da história. Também temos descrições massivas dos sentimentos dos personagens e, através deles, vivenciamos tudo: o medo, a perda, a luta, a alegria, a esperança...

A história contém segredos, dificuldades e lutas, mas há uma sensação papável de esperança e uma demonstração de amor legítima. A autora não pesou a mão e, mesmo tratando de temas pesados, entregou um enredo refrescante que, ao mesmo tempo que te faz refletir, também consegue trazer um grande sorriso ao seu rosto. Esta obra é uma linda lembrança de que a vida pode ser difícil as vezes, mas alguém sempre poderá ajudá-lo a encontrar uma saída. Ao final do livro, Rebekah Crane provou ser capaz de mostrar as realidades de muitos adolescentes que lidam diariamente com algum tipo de distúrbio e dificuldade, e também retratou, de maneria efetiva, o poder do amor e do companheirismo na vida de alguém.
"- Porque isso vai provar minha teoria.- E que teoria seria essa, Grover?- Que não existe nenhuma pessoa igual a você em todo o mundo. Que as chances de existir uma pessoa exatamente igual a você são próximas de zero."

Nota
OMG, PERFEITO
Notacornio 5

Val

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário