{Resenha} Sobreviventes do Caos

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Sinopse
"Em um mundo distópico, no ano 2323, após ser quase dizimada por um vírus mortal e pela guerra, a raça humana tenta se reestruturar. Com poucos recursos disponíveis, a humanidade encontra-se dividida em grupos que vivem de acordo com regras impostas por seus líderes. Celine cresceu nesse ambiente hostil e se tornou líder dos guerreiros de seu povo após a morte de seus pais. Seu grupo se envolve em diversos conflitos e a jovem precisa tomar as decisões que julga corretas para garantir a sobrevivência de seu povo, enquanto se envolve num forte romance, do qual tenta se manter afastada. Aos poucos, ela descobre mais sobre as pessoas que a cercam e percebe que, quando se trata de lutar pela própria vida, poucos são previsíveis. Só os mais fortes sobrevivem, e os mais fortes normalmente são os mais crueis. Nesse ambiente, o mais difícil é saber quem realmente está ao seu lado e quem é um traidor. Será Celine capaz de manter sua benevolência frente à tanta violência que a rodeia? Seu coração terá espaço para a paixão, cercado de tanto ódio?"
O Que Achei

O ano é 2323. Em um mundo devastado por um vírus mortal e pela guerra, a raça humana tenta se reestruturar. Da beira do apocalipse, e com poucos recursos disponíveis, a humanidade reorganizou-se em grupos que vivem de acordo com regras impostas por seus líderes.

Esta aventura distópica segue os passos de Celine, uma garota que torna-se líder de um grupo de guerreiros, após a morte dos pais, e vive sua vida defendendo os ideais de seu povo.

Ao ser alvo de uma infame traição, Celine, encontra-se em uma nova e brutal realidade onde não pode confiar em ninguém. Ao longo desta jornada, ela se torna atraída por um homem de passado misterioso, mas que, estranhamente, lhe traz segurança.

O livro foi intrigante do início ao fim. A trama conservou uma linha única de narrativa, mantendo-me atenta a cada novo acontecimento.

Sobreviventes do Caos está ancorado em muitos aspectos diferentes, mas o que eu mais gostei sobre este livro foi que, embora seja amplamente focado no romance, ele exibiu não só o relacionamento do casal, mas também a amizade entre os personagens e a preocupação em proteger o povo. Estes personagens secundários, por sua vez, têm características críveis, o que nos faz amá-los ou odiá-los de acordo com suas ações.


Celine é uma personagem muito forte e foi interessante acompanhar o início de sua jornada. A fidelidade aos seus ideais em aquiescência a uma habilidade nata para transpor regras, fazem dela uma garota ousada e muito empática, o que tornou a leitura refrescante. Com tanta pressão sobre si, ao mesmo tempo em que tenta entender os perigos da nova realidade, nossa Princesa Guerreira busca completar sua missão com sucesso. Na companhia de novos amigos e cercada de inimigos sedentos pelo poder, ela vai perceber que passar por isso não é só uma questão de honra, mas de sobrevivência.

Em última análise, encontrei-me verdadeiramente apreciando este romance envolvente e cheio de ação. O final conta com um cliffhanger alucinante e, tenho certeza, que a tendência do enredo é ganhar mais densidade nos próximos volumes. Bianca Gulim tem muito potencial, isso é inegável. Recomendo!

Nota
Sentimento
Notacórnio

Val

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário