{Resenha} Tudo e Todas as Coisas

segunda-feira, 29 de maio de 2017

{Resenha} Tudo e Todas as Coisas
Sinopse
"Minha doença é tão rara quanto famosa. Basicamente, sou alérgica ao mundo. Qualquer coisa pode desencadear uma série de alergias. Não saio de casa. Nunca saí em toda minha vida. As únicas pessoas que já vi foram minha mãe e minha enfermeira, Carla. Eu estava acostumada com minha vida até o dia que ele chegou. Olho pela minha janela para o caminhão de mudança, e então o vejo. Ele é alto, magro e está vestindo preto da cabeça aos pés. Seus olhos são de um azul como o oceano. Ele me pega olhando-o e me encara. Olho de volta. Descubro que seu nome é Olly. Talvez eu não possa prever o futuro, mas posso prever algumas coisas. Por exemplo, estou certa de que vou me apaixonar por Olly. E é quase certo que será um desastre."
O Que Achei
Madeline Whittier está em sua limpa e branca prisão desde bebê. Seu crime? Ter nascido com IDCG - Imunodeficiência Combinada Grave, uma doença muito rara que a torna alérgica a tudo. Desde que sua doença foi descoberta, sua mãe, que por sinal é médica, a cerca de cuidados. Maddy tem uma rotina bem delineada e várias restrições quanto à sua vida: ela não pode sair de casa e as únicas pessoas que ela conhece pessoalmente são a própria mãe e sua enfermeira, e também amiga, Carla.
"Dicionário da Madeline
pro.mes.sa ( ) s.f. pl. -s 1. A mentira que você deseja manter. [2015, Whittier]"
A história começa com o aniversário de 18 anos de Maddy e um acontecimento que vai virar o mundo da garota de cabeça pra baixo: uma nova família se muda para a casa ao lado. Graças a sua falta de interação social e pouco contato com o mundo - que se restringe a aulas online de arquitetura, alguns fóruns de discussão e seu blog de resenhas literárias - Maddy nunca soube realmente o que é estar apaixonada, mas assim que ela vê Olly pela primeira vez, e ele a olha de volta, ela sabe que seu coração nunca sentiu aquilo antes e tem certeza que as coisas começarão a dar errado.


Depois de uma apresentação desastrosa dos novos vizinhos à sua mãe, Olly não desiste, e ele e Maddeline começam uma amizade virtual extremamente fofa que evolui para um sentimento novo, bom e misterioso para Maddy. É lógico que essa conversa a distância começa a não ser suficiente (e quando é que será para adolescentes cheios de hormônios, não é mesmo?) e com a ajuda de Carla, Olly e Maddy se encontram pessoalmente pela primeira vez, e depois uma segunda, e eles não podiam se tocar, mas rola um beijo! Tudo acarreta numa mudança drástica nos sentimentos de Maddy. É oficial, ela está apaixonada, cheia de borboletas nos estômago e com o coração descompassado.
“Eu era feliz antes de conhecê-lo. Mas agora estou viva. São coisas diferentes.” - Maddy
Daí pra frente diversos acontecimentos levam a um fortalecimento do sentimento que Olly e Maddy nutrem um pelo outro. O amor é muito arriscado quando se tem uma doença como a de Maddy, mas sobreviver não é o mesmo que viver, certo? Maddy começa a se questionar até onde vale a pena apenas passar pela vida. Ela nunca poderá ser amada de verdade? Sentir a grama nos pés? Respirar o ar puro ao invés do filtrado de sua casa?
"Sinto como se fosse a primeira vez, a última vez e a única vez. Tudo ao mesmo tempo." - Olly
Durante a leitura ficamos o tempo todo apreensivos, esperando o momento que tudo vai dar muito errado em meio a sorrisos, aventuras, beijos e juras de amor. Torcemos tanto pra que Maddy possa realmente viver, que acabamos nos libertando junto com ela a cada pequena conquista, ao mesmo tempo tremendo de medo da hora em que vai tudo desmoronar.
“No início, não havia nada. E então, de repente, havia tudo.” - Maddy
A leitura é leve e deliciosa. Inicialmente achei o diálogo dos dois um pouco fraco, mas durou pouco. A diagramação do livro e o uso de gráficos, desenhos, listas e emails durante a história torna tudo ainda mais dinâmico e rápido, mas sem ser apressado. Eu tenho a primeira edição, lançada pela Novo Conceito com a capa original e sou apaixonada com cada detalhe. Pessoalmente não gosto de capas de filme, então quando fiquei sabendo que a nova edição relançada pela Arqueiro seria assim, fiquei um pouco chateada, pois até queria os extras sobre o filme que vinham no novo livro.

É uma leitura ótima pra quem curte um romance leve, um pouquinho de drama pra dar aquele gostinho de "oh não", um humor bem dosado e diálogos apaixonantes. É o típico livro "Sessão da Tarde", assim como o filme. Abaixo das notas vou fazer uma pequena review da adaptação cinematográfica. Fica  por aqui e lê também! :)


Nota
Sentimento
Notacórnio

Review da adaptação de "Tudo e Todas as Coisas" para o cinema

Fui assistir a adaptação de Tudo e Todas as Coisas no cinema com um pouco de pé atrás, porque é assim que costumo ver qualquer tipo de adaptação atualmente. São menores as chances de eu me decepcionar assim. Bom, de primeira eu não gostei da aparência dos atores, porque eles não tinham as características descritas no livro, mas eu aprendi a relevar isso um pouco nessa minha vida de fã e fui de mente aberta porque apesar deles não terem exatamente as mesmas caracterísitcas físicas, eu estava bem feliz com eles (adoro a Amandla Stenberg) e com a sensação que eles me passavam. E não foi diferente no filme! Atuações aprovadas!

O filme é um delicinha de se ver, aquele água com açúcar bom pra passar um dia feliz e ensolarado e alegrar uma tarde meio triste. Porém, algumas mudanças me irritaram um pouquinho, coisas foram mudadas e claramente não precisavam ter sido, retiraram detalhes que eu achava importantes, mesmo que eles não sejam necessários para a compreensão da história em si, eles eram parte importante do desenvolvimento e da personalidade de Maddy. Por exemplo, pra que colocar que ela tinha uma amizade com a filha da Carla? Foi desnecessário, até por nem ter tanta importância no filme.

Apesar disso achei que ele conseguiram lidar super bem com a adaptação das mensagens de texto para a tela, o modo como Maddy imagina a conversa deu um dinamismo incrível e foi uma ótima forma de adicionar o "astronauta" de suas maquetes  na história de forma divertida.

Conclusão: uma adaptação relativamente fiel e que, creio eu, vai agradar aos leitores mesmo com as mudanças. Eu saí contente da sessão. Não é uma obra prima que explode mentes, mas é firme no que é proposto desde o livro.

Nanda

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário