{Resenha} Triângulo de 4 Lados

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Triângulo de 4 Lados
Sinopse
"Unhas mal pintadas de preto e camisas de bandas. Ela ama O Diário de Bridget Jones, chocolate, e a banda Misfits. Odeia trovões, lágrimas, e ser chamada de criança. Sara Alcântara tem 17 anos e, como qualquer garota de sua idade, tem um relacionamento de amor e ódio com a mãe, com seus estudos, e com a própria vida. Ama suas amigas, que são seu suporte, e sua base. Tira boas notas na escola, por obrigação, mas deseja ser artista, porque pintar é sua verdadeira vocação. Até aquela paixão adolescente, platônica, ela possui. Ele tem nome, sobrenome, e grau de parentesco. Rodrigo Guano é seu primo, e sonho de consumo de toda a população feminina da pequena cidade de Santa Fé, onde moram. Tudo muda quando ele a beija pela primeira vez. Então o mundo pode acabar, regimes podem cair, terremotos podem engolir a terra em rachaduras intermináveis, e Sara ainda estaria feliz. Ou assim ela pensa ser, até que viaja para Paris, para passar as férias. Quando volta, tudo está diferente, inclusive ela. Sara se vê inserida num triângulo amoroso... Ou seria um quadrado?"
O Que Achei
Primeiro livro das autoras Adelina Barbosa e Fernanda Medeiros, Triângulo de 4 Lados é um romance jovem, leve, que vai agradar além do público para o qual é primeiramente dirigido.

Sara é uma autêntica adolescente, segue todos os estereótipos, desde as bandas de rock às crises de identidade, do amor platônico às crises familiares e, claro, o mais importante, o amadurecimento constante durante todo o livro. Ela começa mais criançona, mais mimada, com menos experiência para lidar com situações críticas e perceber furadas na vida. Todos já passamos por isso, não seria diferente com ela né? E a maior crise em sua vida é: Rodrigo Guano, seu primo, com um lindo sorriso, destruidor de corações e de calcinhas.

Durante o livro vemos como ela começa imatura ao lidar com seus sentimentos em relação ao primo e a perceber quando certas atitudes ou acontecimentos são um imenso “CORRA” piscando em letras luminosas na sua cabeça. Ela passa por muita barra pra ir crescendo e aprendendo, tropeçando e acertando, chorando e sorrindo.

Logicamente nem tudo vai ser tão simples quanto somente um amor platônico adolescente, Brent, o meio irmão de Rodrigo, lindo, com sotaque americano, misterioso e bem fechado, é apaixonado por Sara. Tem mais, um novo membro da banda de Rodrigo, que acabou de chegar de Porto Alegre, também está interessadíssimo nela, Matheus, simpático e com uma voz encantadora. Como lidar com isso tudo, ainda mais depois de passar um mês fazendo um curso de férias em Paris? Quando ela volta, tudo que ela achava saber está de cabeça pra baixo. E é a partir daí que ela vai se descobrir e redescobrir seus sentimentos.

O que você pode perder se demorar pra perceber o que sente de verdade? Como erros de interpretação e erros de comunicação podem afetar sua vida e seu relacionamento? Quem são realmente as pessoas por baixo do que apresentam pra você?

Apesar de eu ter achado o livro muito interessante, vale elogio à temática, à escrita das meninas (esse é o primeiro livro delas!), ao amadurecimento da protagonista, ao relacionamento de cumplicidade entre ela e o irmão, mas também vale crítica não é? Eu tenho uma ressalva ao livro, tirando o irmão da Sara, os meninos têm um pensamento muito machista, inclusive usando mulheres em algumas situações. Eu sei, retrata uma realidade em que vivemos, principalmente quando tem banda envolvida, mas acho que era um pouco dispensável em algumas situações.

Estou aguardando o próximo ansiosamente! Quero ver mais do lindo do Brent. Ele tem essa carcaça que faz a gente querer explorar o que tá ali por baixo! Quero ver se o Rodrigo irá se redimir, ele começa com uma história triste e empatia, mas acaba perdendo tudo isso pelo caminho quando vai se mostrando. E quero ver também o que vai rolar com o Matheus, não considerei ele um lado do triângulo, achei que ele ficou ali no limbo, sem grandes diferenças realmente na história, não consegui torcer, nem mesmo temer pela proximidade dele.

Não poderia deixar de dizer como a diagramação do livro está bem feita, a capa é linda e diferente, temos o nome do respectivo personagem em cada capítulo. Ah, importante: Adelina e Fernanda são uns amores, tive o prazer de dividir apartamento com elas durante a Bienal do RJ de 2015 e ainda sou conterrânea da Adelina, sei como elas são pessoas maravilhosas!
“Rodrigo, eu não estou com você. Nem com Matheus. Nem com Sara. Estou no team Brent.” -Brent
#EuTambém


Nota
Sentimento
Notacórnio


Nanda

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário