{Resenha} O Beijo do Vencedor

quarta-feira, 10 de maio de 2017

{Resenha} O Beijo do Vencedor

Sinopse


"A guerra começou. Arin está à frente dela com novos aliados e o império como inimigo. Embora tenha convencido a si mesmo de que não ama mais Kestrel, Arin ainda não a esqueceu. Mas também não consegue esquecer como ela se tornou o tipo de pessoa que ele despreza. A princesa se importava mais com o império do que com a vida de pessoas inocentes – e, sem dúvida, menos ainda com ele. Pelo menos é o que Arin pensa. Enquanto isso, no gélido norte, Kestrel é prisioneira em um campo de trabalhos forçados. Ela deseja desesperadamente escapar. Deseja que Arin saiba o que sacrificou por ele. E deseja fazer com que o império pague pelo que fizeram a ela. Mas ninguém consegue o que quer apenas desejando. Conforme a guerra se intensifica, Kestrel e Arin descobrem que o mundo já não é mais o mesmo. O oriente está contra o ocidente, e os dois se encontram no meio de tudo isso. Com tanto a perder, é possível alguém realmente ser o vencedor? Numa narrativa tão empolgante quanto sensível, a difícil paixão entre Kestrel e Arin alcança um novo patamar. O beijo do vencedor é o grande final da Trilogia do Vencedor."
O Que Achei
"Você não precisa ter talento com uma espada. Você é sua própria arma."
O Beijo do Vencedor é a terceira e última parte da Trilogia do Vencedor, obra escrita pelas mãos de Marie Rutkoski. Configurando a conclusão épica da história de amor de Arin e Kestrel. Um conto atravessado pelas complicações da guerra, do dever e da lealdade. O mundo criado aqui é envolvente e imersivo. Ao contrário da maioria dessas histórias, a batalha pelo poder não é refletida unicamente no derramamento de sangue subsequente, mas, principalmente, pela horda de complexidade que envolve seus personagens.

"-Não acredito que alguém possa ser manipulador e bondoso ao mesmo tempo.
Ele riu.
-Você pode."
Este livro me trouxe uma revoada de sentimentos e sensações. Em determinados momentos eu podia sentir todo o segmento de uma conclusão caindo sobre mim. Sem querer soar repetitiva, Épico é a melhor palavra para descrever um enredo arrebatador, que se sustentou assim do início ao fim.
"-[...] Você fala dela como se ela fosse feita de vidro. Sabe o que eu vejo? Aço."
Esse romance é sustentado por uma prosa maravilhosamente realista; ora pragmática, ora banhada por metáforas bem colocadas; condensando um emaranhado de fatos que, tenho certeza, conquistarão o leitor desde as primeiras páginas. A guerra bem estruturada e os entraves remanescentes entre Arin e Kestrel ganham uma conclusão surpreendente. Os fãs da trilogia ficarão satisfeitos.

O Beijo do Vencedor

Livros finais são complicados. Altas expectativas, esperanças e medos, conduzem a ambição do leitor, que espera ver seus desejos realizados. Imagino o quanto deva ser assustador para um autor tentar dar a seus leitores tudo o que eles querem e, ainda assim, permanecer fiel à sua história. Quanto a isso, na minha opinião, Marie Rutkoski merece uma medalha de ouro. Pois conseguiu, com louvor, unir tudo isso. Esta história me levou a uma inesquecível e notável viagem, confinando meu coração e derretendo minhas emoções de uma só vez. Leiam esta trilogia. Altamente recomendada!
"Se você morrer, isso vai me destruir."
Nota
Sentimento
Notacórnio

Val

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário