{Resenha} Bom Dia, Verônica

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Resumo - Bom Dia Verônica
Sinopse

Em "Bom dia, Verônica", acompanhamos a secretária da polícia Verônica Torres, que, na mesma semana, presencia de forma chocante o suicídio de uma jovem e recebe uma ligação anônima de uma mulher desesperada clamando por sua vida. Com sua habilidade e sua determinação, ela vê a oportunidade que sempre quis para mostrar sua competência investigativa e decide mergulhar sozinha nos dois casos. No entanto, essas investigações teoricamente simples se tornam verdadeiros redemoinhos e colocam Verônica diante do lado mais sombrio do homem, em que um mundo perverso e irreal precisa ser confrontado. 
O Que Achei

Cruel e visceral, "Bom dia, Verônica" nos apresenta uma narrativa pesada, com um toque de realidade que nem sempre é alcançado na ficção. Verônica Tostes, nossa protagonista, é uma personagem cheia de defeitos, com uma história de vida conturbada, que acaba se envolvendo em investigações além do seu alcance, mas que por orgulho e ambição, deseja resolver sozinha. Profissional desleixada, por não gostar do cargo em que foi "encostada" como secretária de um delegado da Polícia Civil, ela também é uma mãe relapsa e esposa de fidelidade duvidosa. Tais características negativas tornam-a mais interessante como personagem, e a cada passo da história, não sabemos como exatamente ela irá reagir.
Bom Dia, Verônica
Já Janete, esposa abusada e cúmplice forçada dos crimes do marido Policial Militar, demonstra ao mesmo tempo a fragilidade de uma vitima de abuso, que não consegue escapar do ciclo de agressão, como também um certo desequilíbrio causado pelo seu desejo físico desenfreado pelo companheiro controlador, que a leva a alguns comportamentos extremos.
"O passado deveria ficar no passado, mas a necessidade dita as regras." - Verônica Tostes
As tramas investigativas deixam o leitor tenso pela próxima página, imaginando se e quando as histórias irão se cruzar, além de serem boas demonstrações de como o ser humano pode ser sádico e cruel. Apesar de algumas pontas soltas, o livro consegue criar um bom background para os personagens, tornando-os únicos e ao mesmo tempo representativos de algo maior. Gostei especialmente dos crimes abordarem a violência contra a mulher, algo que vem sendo discutido cada vez mais atualmente, mas que ainda precisa de maior visibilidade. A forma crua como são retratados esses crimes dão margem a diversas discussões acerca dos problemas enfrentados pelas mulheres, tanto em relação à violência doméstica quanto à golpes e crimes sexuais perpetuados através da internet.

A narrativa é dividida de duas formas: capítulos narrados em primeira pessoa pela protagonista Verônica e outros em terceira pessoa, que acompanham a vida de Janete. No começo pode ser um pouco confusa a mudança de estilos, mas logo ela faz sentido no livro em geral e contribui para o clima de tensão da história.
"O ser humano é podre e egoísta, prefere o problema que já conhece a enfrentar o desconhecido com honra." - Verônica Tostes
Algumas cenas são bem pesadas, descrevendo abusos físicos e psicológicos de forma bem grotesca, mas nada que seja demais para os estômagos mais fracos. Os personagens secundários também foram bem trabalhados, muitos deles possuindo papel decisivo na história. O final foi bem chocante para mim, embora não de todo inesperado, e apesar de fechar bem a história, deixa espaço para um continuação.

Em relação à parte gráfica, o acabamento em capa dura é primoroso e as ilustrações internas são maravilhosas e não me recordo de nenhum erro grave de revisão. É um daqueles livros que ficam lindos na estante, mas não só isso, vale a pena ser lido e apreciado por todos que gostam de suspense ou mesmo de conhecer um pouco mais da deturpada natureza humana.

Sentimento
Notacórnio


Paula

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário