{Resenha} O Acordo

quarta-feira, 24 de maio de 2017

O Acordo
Sinopse
"Hannah Wells finalmente encontrou alguém que a interessasse. Mas, embora seja autoconfiante em vários outros aspectos da vida, carrega nas costas uma bagagem e tanto quando o assunto é sexo e sedução. Não vai ter jeito: ela vai ter que sair da zona de conforto Mesmo que isso signifique dar aulas particulares para o infantil, irritante e convencido capitão do time de hóquei, em troca de um encontro de mentirinha. Tudo o que Garrett Graham quer é se formar para poder jogar hóquei profissional. Mas suas notas cada vez mais baixas estão ameaçando arruinar tudo aquilo pelo qual tanto se dedicou. Se ajudar uma garota linda e sarcástica a fazer ciúmes em outro cara puder garantir sua vaga no time, ele topa. Mas o que era apenas uma troca de favores entre dois opostos acaba se tornando uma amizade inesperada. Até que um beijo faz com que Hannah e Garret precisem repensar os termos de seu acordo."
O Que Achei

"Eu estava começando a me preocupar que eu pudesse realmente ser o seu tipo, e isso é muito aterrorizante para imaginar."
O Acordo, escrito por Elle Kennedy e publicado no Brasil pela Editora Paralela, é o primeiro livro da série Amores Improváveis. Deixo aqui minha leve crítica a desnecessária alteração do nome original, ‘Off Campus’. Dito isto, vamos ao que interessa.

{Resenha} Algo Belo

quarta-feira, 17 de maio de 2017


{Resenha} Algo Belo
A resenha pode conter spoilers dos livros anteriores
Sinopse

"America Mason é audaciosa, decidida e apaixonada — mais especificamente por um Maddox: Shepley, primo de Travis e de seus quatro irmãos. Diferentemente dos primos, Shepley é mais um amante que um lutador, mas uma viagem para a casa dos pais de America em Wichita, no Kansas, pode significar o próximo passo no relacionamento dos dois — ou o fim de tudo. Neste romance ágil e surpreendente, os leitores vão saber mais sobre a história de Shepley e America, o casal que já apareceu em outros livros da série Belo Desastre e deixou os fãs apaixonados. E, é claro, vão reencontrar os personagens mais amados da série: Travis e Abby!"
O Que Achei

Belo Desastre faz parte da minha vida há quase 4 anos. E desde que se tornou uma serie, me comprometi em segui-la sem reservas. No entanto... preciso começar com uma confissão: ler a história dos personagens secundários desse livro amado não estava na minha lista de prioridades. Eu não estava nenhum pouco curiosa sobre eles. Shepley e America, respectivamente primo e melhor amiga dos protagonistas da história original, Travis e Abby, nunca foram personagens tão marcantes, na minha opinião. Quase tediosos? Talvez. Mas conhecem o ditado, ‘Nunca diga desta água não beberei’? Bebi. E é docinha.

{Resenha} O Beijo do Vencedor

quarta-feira, 10 de maio de 2017

{Resenha} O Beijo do Vencedor

Sinopse


"A guerra começou. Arin está à frente dela com novos aliados e o império como inimigo. Embora tenha convencido a si mesmo de que não ama mais Kestrel, Arin ainda não a esqueceu. Mas também não consegue esquecer como ela se tornou o tipo de pessoa que ele despreza. A princesa se importava mais com o império do que com a vida de pessoas inocentes – e, sem dúvida, menos ainda com ele. Pelo menos é o que Arin pensa. Enquanto isso, no gélido norte, Kestrel é prisioneira em um campo de trabalhos forçados. Ela deseja desesperadamente escapar. Deseja que Arin saiba o que sacrificou por ele. E deseja fazer com que o império pague pelo que fizeram a ela. Mas ninguém consegue o que quer apenas desejando. Conforme a guerra se intensifica, Kestrel e Arin descobrem que o mundo já não é mais o mesmo. O oriente está contra o ocidente, e os dois se encontram no meio de tudo isso. Com tanto a perder, é possível alguém realmente ser o vencedor? Numa narrativa tão empolgante quanto sensível, a difícil paixão entre Kestrel e Arin alcança um novo patamar. O beijo do vencedor é o grande final da Trilogia do Vencedor."
O Que Achei
"Você não precisa ter talento com uma espada. Você é sua própria arma."
O Beijo do Vencedor é a terceira e última parte da Trilogia do Vencedor, obra escrita pelas mãos de Marie Rutkoski. Configurando a conclusão épica da história de amor de Arin e Kestrel. Um conto atravessado pelas complicações da guerra, do dever e da lealdade. O mundo criado aqui é envolvente e imersivo. Ao contrário da maioria dessas histórias, a batalha pelo poder não é refletida unicamente no derramamento de sangue subsequente, mas, principalmente, pela horda de complexidade que envolve seus personagens.

{Resenha} Proibido

segunda-feira, 8 de maio de 2017

{Resenha} Proibido
Sinopse
“Ela é doce, sensível e extremamente sofrida: tem dezesseis anos, mas a maturidade de uma mulher marcada pelas provações e privações da pobreza, o pulso forte e a têmpera de quem cria os irmãos menores como filhos há anos, e só uma pessoa conhece a mágoa e a abnegação que se escondem por trás de seus tristes olhos azuis. Ele é brilhante, generoso e altamente responsável: tem dezessete anos, mas a fibra e o senso de dever de um pai de família, lutando contra tudo e contra todos para mantê-la unida, e só uma pessoa conhece a grandeza e a força de caráter que se escondem por trás daqueles intensos olhos verdes. Eles são irmão e irmã.”
O Que Achei
É muito difícil pra mim estar aqui agora fazendo essa resenha, por vários motivos. Esse é um dos meus livros preferidos, é o meu “Uma Aflição Imperial”*, eu não queria ter que dividi-lo com ninguém, e até confesso ter ficado um pouco nervosa cquando soube que ele seria lançado no Brasil. Egoísmo? Talvez. Por isso me propus a passar por cima disso e escrever essa resenha. Ele é um livro lindo e sensível, mas extremamente polêmico, e é esse o outro motivo que me fez ponderar muito antes de recomendá-lo. Nem todos vão entendê-lo, muitos vão julgá-lo, mas o pior, eu tenho medo que ele se torne só mais um livro, uma modinha e perca sua profundidade e seu real significado. Mas não vamos ficar aqui na lamentação.

{Resenha} O Crime do Vencedor

quarta-feira, 3 de maio de 2017

{Resenha} O Crime do Vencedor

Sinopse

"Existe a tentação e existe a coisa certa a se fazer. E está cada vez mais difícil para Kestrel fazer a melhor escolha. Um noivado imperial significa uma celebração após a outra: cafés da manhã com cortesãos e dignatários influentes, bailes, fogos de artifício e festas até o amanhecer. Para Kestrel, porém, significa viver numa gaiola forjada por ela mesma. Com a aproximação do casamento, ela deseja confessar a Arin, seu ex-escravo e atual governador de Harren: só aceitou se casar com o príncipe herdeiro do império em troca da liberdade dele, Arin. Mas será que Kestrel pode confiar nele? Ou, pior: será que pode confiar em si mesma? No jogo do poder, Kestrel está se tornando perita em blefes. Age como uma espiã na corte. Se for pega, será desmascarada como traidora de seu próprio império. Ainda assim, ela não consegue deixar de buscar uma forma de mudar seu terrível mundo... e está muito perto de descobrir um segredo tenebroso. Nesta sequência fascinante e devastadora de A maldição do vencedor, Marie Rutkoski desvela o alto custo de mentiras perigosas e alianças pouco confiáveis. A revelação da verdade é iminente e, quando finalmente vier à tona, Kestrel e Arin vão descobrir o preço exato de seus crimes."
O Que Achei

"Em sua mente, Kestrel jogou as peças."
Após a inesperada reviravolta nos capítulos finais de A Maldição do Vencedor, primeiro livro da Trilogia, o Crime do Vencedor parte exatamente de onde seu antecessor parou: em meio ao caos, uma Herran independente (mais ou menos), um noivado arranjado e o início de uma nova guerra. Lady Kestrel está de volta. Com seus esquemas tortuosos, seu coração íntegro, os dois reinos com os quais ela tem jogado e um amor proibido arrebatador.
“-Você busca o império e um marido que possa manipular com a mesma facilidade que essas peças de jogo.”